Vendas na Web - Anuncios imoveis

Pesquisar imóveis:



Imóveis e imobiliárias em Fortaleza - CE

No portal Vendas na Web você vai encontrar anúncios de imóveis em diversas cidades, entre elas Fortaleza / CE. São anúncios realizados por imobiliárias, corretores autonomos ou proprietários.

Fortaleza é a capital do estado do Ceará. Pertence à mesorregião Metropolitana de Fortaleza e à microrregião de Fortaleza. A cidade desenvolveu-se às margens do riacho Pajeú, no nordeste do país, a 2 285 quilômetros de Brasília.

Seu nome tem como referência o Forte Schoonenborch, construído pelos holandeses durante sua ocupação do local, em 1649. Batizada de Loira desposada do Sol, pelos versos do poeta Paula Ney, Fortaleza é quinta cidade mais povoada do Brasil e o mais importante centro industrial]do Nordeste. No turismo a cidade alcançou a marca de destino mais procurado no Brasil em 2004. É sede do Banco do Nordeste e do DNOCS.

A Região Metropolitana de Fortaleza tem cerca de 3.436.515 habitantes, sendo uma das dez maiores áreas urbanas do Brasil e está entre as três maiores do Nordeste. Seu aeroporto é o Aeroporto Internacional Pinto Martins. É por ele que chegam à cidade a maioria dos turistas. A cidade é a terra natal dos escritores José de Alencar e Rachel de Queiroz, do humorista Tom Cavalcante e do ex-presidente Castello Branco.

A cidade localiza-se no litoral do Estado, a uma altitude média de 21 metros, e é centro de um município de 313,8 km² de área e 2.431.415 habitantes sendo a capital de maior densidade demografica do país com 7.748,3hab/km².


História

O início da ocupação do território onde hoje se encontra Fortaleza data do ano de 1603, quando o português Pero Coelho de Sousa aportou na foz do Rio Ceará. Naquelas margens ergueu o Fortim de São Tiago e deu ao povoado o nome de Nova Lisboa. o português Martim Soares Moreno chegou em 1613, recuperando e ampliando o Fortim de São Tiago, e rebatizando o novo forte de Forte de São Sebastião. Em 1637 houve a tomada holandesa do forte São Sebastião. Em 1649 uma nova expedição holandesa no Ceará construiu, às margens do Riacho Pajeú, o Forte Schoonenborch, começando nesse momento, a história de Fortaleza, sendo responsável por seu início, o comandante holandês Matias Beck. Em 1654, com a retirada dos holandeses, o forte foi rebatizado de Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção. Em 1726 o povoado do forte foi elevado à condição de vila. Em 1799 a a Província do Ceará foi desmembrada da Província de Pernambuco e Fortaleza escolhida capital.
Passeio Público em 1919.

Durante o Século XIX Fortaleza consolida a lideranca urbana no Ceará, fortalecida pelo surgimento da cultura do algodão. Com o aumento das navegações direto com a Europa é criada em 1812 a Alfândega de Fortaleza. Em 1824 a cidade se agita com a os revolucionários da Confederação do Equador. Entre os anos de 1846 e 1877 a cidade passa por um período de enriquecimento e melhoria das condições urbanísticas com a exportação do algodão e a execução de diversas obras, tais como a criação do Liceu do Ceará e o Farol do Mucuripe em 1845, Santa Casa de Misericórdia em 1861, Seminário da Prainha em 1864, Biblioteca Pública em 1867 e a Cadeia Pública e em 1870 teve início a construção da Estrada de Ferro de Baturité. Nas décadas de 1870 e 1880 houve movimentos abolicionistas e republicanos que culminaram na libertação dos escravos no Ceará, em 25 de março de 1884. O movimento literário Padaria Espiritual surgido em 1892 foi pioneiro na divulgação de idéias modernas na literatura no Brasil. Outras entidades da época foram o Instituto do Ceará e a Academia Cearense de Letras respectivamente fundadas em 1887 e 1894.
Orla de Fortaleza na década de 1980 a partir da praia do Mucuripe. Nesta década começaram as construções os primeiros prédios na orla.
Orla de Fortaleza na década de 1980 a partir da praia do Mucuripe. Nesta década começaram as construções os primeiros prédios na orla.

No século XX Fortaleza passa por grandes mudanças urbanas, entre melhorias e o êxodo rural, e cresce muito chegando ao final da década de 1910 sendo a sétima cidade em população do Brasil. Em 1954, é criada a primeira universidade na cidade, a UFC. Entre as décadas de 1950 e 1960 a cidade passa por um crescimento econômico que supera 100% e começa a ocupação de bairros mais distantes do centro. Ao final dos anos 70 começa a despontar como um futuro pólo industrial do Nordeste com a implantação do Distrito Industrial de Fortaleza. Durante a abertura política após o Regime Militar o povo elegeu a primeira mulher prefeita do Ceará, Maria Luiza e a primeira prefeitura comandada por um partido de esquerda. No final do século a administração da prefeitura e a cidade passam por diversas mudanças estruturais com a abertura de várias avenidas, hospitais, espaços culturais e despontando como um dos principais destinos turísticos do Nordeste e do Brasil.

Geografia e meio ambiente

Vista do Parque do Cocó.

O meio ambiente de Fortaleza tem características semelhantes às que ocorrem em todo o litoral do Brasil. O clima é quente com temperatura anual média de 26,5°C. A vegetação predominante é de mangue e restinga tendo o Parque Ecológico do Cocó como a maior área verde da cidade. Seu relevo tem altitude média de 21 metros e o maior rio é o Cocó.

Clima

Apesar de estar inserida no clima semi-árido, sua localização modifica esta realidade por estar entre serras próximas fazendo com que as chuvas de verão ocorram com mais freqüência na cidade e em torno do que no resto do Estado. A temperatura média anual é de 26°C, sendo dezembro e janeiro os meses mais quentes e julho o mais frio, porém com diferenças mínimas de temperatura. A média pluviométrica é de 1600mm aproximadamente, sendo que as chuvas se concentram entre fevereiro e maio.

Sem ter as estações do ano, tem-se apenas a época chuvosa (chamada localmente de "inverno"), de janeiro a julho e a seca de agosto a dezembro. O mês mais chuvoso é abril (348 mm) e o mais seco é novembro (13 mm). Com a maior parte do solo arenoso, a agricultura tornou-se de pouco expressão econômica e já na década de 1990 toda a extensão do município foi considerada área urbana.

Vegetação
Os contrastes mostram as construções em roxo ou róseo claro, as vias em tons de azul escuro, quase preto, e as áreas verdes.

A vegetação de Fortaleza é tipicamente litorânea com áreas de mangue e restinga. As áreas de restinga encontram-se nas proximidades das dunas ao sul da cidade e perto da foz dos rios Ceará, Cocó e Pacoti. Nos leitos destes rios a mata predominante é a de mangue. Estas matas estão protegidas por lei e formam a maior área verde da cidade. Infelizmente essas leis não são cumpridas como deveriam e constantemente é possível ver novas construções perto dos rios. A ponte construída sobre o Rio Ceará alterou a paisagem natural e atualmente uma mesma intervenção ameaça o manguezal do Rio Cocó. O Rio Cocó e seu leito formam a maior área de mangue de Fortaleza formando o "Parque Ecológico do Cocó", localizado a centro-leste de Fortaleza. São 1.155,2 hectares de área verde. Ao norte está localizada a foz do rio Cocó e ao sul a área de Mangue do rio Pacoti. Nas demais áreas verdes da cidade já não existem mais a vegetação nativa, constituindo-se ela de vegetação variada com árvores frutíferas em grande parte.

Hidrografia

Fortaleza tem várias lagoas e rios. Entre as lagoas as maiores e mais importantes são a da Parangaba, conhecida por sua feira de variedades; a da Messejana onde se encontra a maior estátua de Iracema de Fortaleza; e as do Opaia, Maraponga e Porangabussu, que são importantes pólos de lazer da cidade.
O Rio Cocó deságua em um manguezal que cria uma das paisagens ecológicas mais belas de Fortaleza.

Fortaleza é cortada por dois rios e alguns riachos. O rio Ceará desemboca na praia da Barra do Ceará, mas não passa por dentro da cidade. O rio marca a divisa com o município de Caucaia onde existe a Área de Proteção Ambiental do Estuário do rio Ceará com características de mangue. O rio Maranguapinho é o maior afluente do rio Ceará. Nasce na Serra de Maranguape, com extensão de 34 quilômetros dos quais 17 estão dentro de Fortaleza. O riacho Pajeú é historicamente o córrego em que se assentou a cidade. Restam somente duas áreas verdes às margens do rio: a primeira por trás da antiga sede da prefeitura, no centro, e a segunda próxima à administração da Câmara de Dirigentes Lojistas — CDL de Fortaleza. O rio Cocó é o mais importante rio de Fortaleza. Perto de sua foz foi criado em 1989 e ampliado em 1993 o Parque do Cocó. Esta é a área verde mais importante da cidade. Um de seus afluentes é o rio Coaçu que deságua junto da foz do Cocó. O Coaçu faz a divisa de Fortaleza com o Eusébio em uma área na qual o leito do rio forma a maior lagoa de Fortaleza, a lagoa de Precabura. O rio Pacoti faz a divisa de Fortaleza com Aquiraz, as margens com seus manguezais formam hoje a Área de Proteção Ambiental do rio Pacoti.

Litoral
Vista da Praia do Meireles.
Estátua de Iracema na Lagoa da Messejana.

O litoral de Fortaleza tem uma extensão de 34 quilômetros com um total de 15 praias. Tem como limites a foz dos rios Ceará ao norte e Pacoti ao sul. Outros rios e riachos que desaguam no litoral cearense são: Riacho Pajeú, Riacho Maceió e o Rio Cocó. A Praia da Barra do Ceará é a praia que faz o limite de Fortaleza com a cidade de Caucaia localizada ao norte. Tem esse nome por ser a foz do rio Ceará. O local tem muita importância para a história da cidade porque foi o primeiro lugar onde o açoriano Pero Coelho de Sousa fez uma incursão em 1603 construindo o Fortim São Tiago. A Praia de Iracema tem uma das noites mais agitadas com seus bares e alguns prédios históricos como a Igreja de São Pedro, o Estoril e a Ponte Metálica além de galerias de arte e o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Também é local da prática de surfe e pesca. Na Praia do Meireles encontra-se a avenida "Beira Mar" que vai até o Mucuripe. Nela está a principal concentração de hotéis da cidade. O Clube Náutico é um marco desta praia. Acontece em frente deste clube, todos os dias, a feira de artesanato mais conhecida da cidade. A Volta da Jurema é o local mais nobre do litoral de Fortaleza. O Mucuripe é famoso por sua comunidade de pescadores e pela composição de Raimundo Fagner que retrata a jangada e o jangadeiro. Todos os dias, à tarde e de manha cedo, é possível ver a partida e a chegada dos pescadores. Tem um movimentado mercado de peixes e mariscos. Nele também existe a mais antiga estátua de Iracema e Martim da cidade, inaugurada em 1965. Logo depois do Mucuripe fica a Praia do Titãzinho que é famosa pela prática do surfe que revelou talentos como "Tita" e "Fabinho". A Praia do Futuro é uma das mais visitadas pelos turistas. Tem uma longa extensão ocupada por muitas "barracas" que são restaurantes especializados em frutos do mar. Um evento típico de Fortaleza é a Caranquejada todas às quintas-feiras. O Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio fica distante do Porto do Mucuripe cerca de 10 milhas náuticas, ou 50 minutos.

Demografia
Crescimento Populacional de Fortaleza
Ano Habitantes
1726* 200
1777 2.874
1808* 9.624
1813 12.810
1859* 16.000
1865 19.264
1872 42.458
1887* 27.000
1890 40.902
1900 48.369
1910 65.816
1920 78.536
1930 126.666
1940 180.901
1950 270.169
1960 514.818
1970 842.702
1980 1.308.919
1990 1.766.794
2000 2.138.234
2005* 2.374.944
2006* 2.416.920
2007* 2.431.415
(*) Estimativa Fonte - IBGE

Uma das principais causas do crescimento demográfico de Fortaleza ao longo de sua história foi o período de secas no interior e a conseqüente fuga para a cidade, o êxodo rural, assim como a busca por melhores condições de emprego e renda. A população de Fortaleza enquanto entidade administrativa, vila nos tempos do Brasil colônia, é estimada em 200 habitantes. O primeiro ponto discrepante do crescimento populacional de Fortaleza se deu entre 1865 e 1872 quando teve início a construção da Estrada de Ferro de Baturité. Por demandar uma grande mão-de-obra a população da cidade crescia com a economia. Em 1877 outra seca fez uma grande quantidade de flagelados migrarem para Fortaleza e entorno. Migrações repetiram-se ainda nas secas de 1888, 1900, 1915, 1932 e 1942. Nestas três últimas datas foram instalados campos de concentração no interior para evitar a chegada de retirantes à capital, contudo bairros de alta densidade demográfica como o Pirambu e outras regiões da periferia têm seus processos de formação diretamente ligados com as migrações de camponeses seduzidos pelas promessas da modernidade da maior urbe do Ceará.

Em 1922 Fortaleza atingiu sua primeira centena de milhar de habitantes com a anexação dos municípios de Messejana e Parangaba que hoje são bairros importantes da cidade. Parangaba era uma cidade com população superior a 20.000 habitantes uma vez que era a primeira estação antes de Fortaleza, o que a fez receber uma grande quantidade de retirantes das secas.

Nos primeiros anos da Ditadura Militar houve em Fortaleza diversas mudanças que fizeram da cidade pólo de indústrias. No primeiro governo de Virgílio Távora (1963-1966) teve início a implantação do Distrito Industrial de Fortaleza (DIF I). Uma década depois, Fortaleza já contava com quase um milhão de habitantes quando foram criadas no Brasil as Regiões Metropolitanas em 1973 passando a cidade a constituir-se em uma delas. Em 1983 o DIF I passou a integrar o território do novo município de Maracanaú que, tão logo foi criado, passou a fazer parte da Região Metropolitana de Fortaleza.
Vista de uma das áreas de risco, a chamada "cidade de deus" em Fortaleza.

Na década de 1980 Fortaleza ultrapassa Recife em termos populacionais, tornando-se a segunda cidade mais populosa do Nordeste com 1.308.919 habitantes. Ao longo das últimas décadas do século XX a cidade foi "inchando" cada vez mais até atingir mais de dois milhões de habitantes no ano 2000. Com uma população atual estimada em 2.431.415 habitantes (IBGE/2007), Fortaleza é a quinta cidade mais populosa do Brasil, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília.

Favelas e áreas de risco

Hoje, cerca de um terço da população de Fortaleza mora em favelas principalmente nas favelas do Barroso II, Novo Barroso, Jardim Castelão, Jangurussu, Gato Morto, Pirambu, Favela do Rato entre outras.[5] As frequentes secas no interior do estado do Ceará agravam o problema da favelização. Existem favelas em quase todos os bairros da cidade. No início da década de 1980 existiam 147 favelas e em 2003 o número aumentou para 722.[6], O controle de Defesa Civil tem priorizado o levantamento de informações das chamadas "áreas de risco" que são locais propensos a sofrerem alagamento e inundações nos períodos chuvosos. Um levantamento realizado em 2002 pela prefeitura considerou que 92 áreas faveladas estavam em situação de risco abrigando um total de 17.078 famílias.

Estrutura e planejamento urbano
Uma das primeiras plantas do arquiteto Adolfo Herbster.

A primeira planta de Fortaleza datada do ano de 1726 é atribuída ao capitão-mor Manuel Francês. No desenho é notável a forca, o pelourinho, o forte e a igreja. O português Antônio José da Silva Paulet fez o primeiro desenho do que seria a atual configuração das ruas do Centro em 1818. Foi ele também o arquiteto da reforma da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção iniciada em 1812 e concluída em 1821.

Em 1859 o arquiteto pernambucano Adolfo Herbster fez a primeira planta detalhada e precisa de Fortaleza. Na planta de 1875 ele esboça a continuação de ruas e avenidas para a expansão da cidade. Os bulevares que circundam o Centro formam a principal característica desta planta: atuais avenidas Duque de Caxias, Dom Manuel e Imperador. Herbster consolidou o plano de Paulet de organizar o traçado das ruas em xadrez que continua sendo a principal característica das expansões que se seguiram.
Vista da Avenida Santos Dumont.

Durante todo o século XX vários planos de desenvolvimento urbano foram propostos para a cidade, mas não tiveram grande impacto no desenvolvimento dela de modo definitivo, estando a especulação imobiliária sempre à frente das iniciativas do poder público. O primeiro deles foi o Plano de Remodelação e Extensão de Fortaleza de 1933 do urbanista Nestor de Figueiredo durante o governo de Raimundo Girão. Suas principais propostas eram a implantação de um sistema radial concêntrico de vias principais e o zoneamento urbano tendo por base as diretrizes da Carta de Atenas. Sua proposta não foi aprovada pelo Conselho Municipal levando a suspensão do seu contrato em 1935.

O plano seguinte foi elaborado por Sabóia Ribeiro entre 1947 e 1948 na administração de Acrísio Moreira da Rocha. O Plano Diretor para Remodelação e Expansão de Fortaleza de Sabóia propunha a divisão da malha urbana em bairros demarcados por cintas de avenidas; implantação de parques urbanos e um sistema viário com avenidas radiais caracterizando a cidade como "radial-perimetral"; a elaboração de código urbano dentre outros elementos; mudanças no traçado do sistema ferroviário; projetos específicos para alguns bairros e implantação de um centro cívico no entorno do riacho Pajeú.

Entre os anos de 1962 e 1963 o urbanista Hélio Modesto, contratado pela administração do prefeito Cordeiro Neto, elaborou o seu Plano Diretor de Fortaleza mantendo as propostas anteriores de um sistema viário radial e com recuos dos prédios e soluções de cruzamentos; uso e ocupação específica para o centro com a implantação de terminais de transporte; implantação de pólos por bairro concentrando atividades comerciais, serviços, institucionais e de recreação; uso e ocupação específicos para bairros industriais e a regulamentação do parcelamento do solo.
Centro da cidade, e aeroporto. Imagem aérea da NASA.

O Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Fortaleza (PLANDIRF) foi elaborado no governo do prefeito José Walter entre os anos de 1969 e 1971 por um consórcio de empresas e sua principal característica era o desenvolvimento integrado de Fortaleza em conjunto com as cidades vizinhas, mesmo antes da implantação da regiões metropolitanas no Brasil. Previa a integração da gestão urbana em seus múltiplos aspectos; zoneamento com a introdução do conceito de corredor de atividades e um programa de obras viárias com um horizonte máximo para o ano de 1990.

Em 1975 o Plano Diretor Físico foi elaborado pela Coordenadoria de Desenvolvimento Urbano de Fortaleza com base no PLANDIRF e em um levantamento aerofotogramétrico de 1972 no governo do prefeito Vicente Fialho. O plano criava quatro zonas residenciais diferenciadas; zonas de adensamento comercial e residencial; zonas industriais; zona especial de praia; zonas especiais de preservação paisagística e turística; áreas de uso institucional; áreas de renovação urbana; e um plano viário hierarquizado classificando as vias como expressas, arteriais, coletoras e locais.
Avenida Beira Mar na década de 1980 antes da urbanização para a feira de artesanato.
Avenida Beira Mar na década de 1980 antes da urbanização para a feira de artesanato.

Já no final do século XX, em 1992 no governo de Juraci Magalhães, foi lançado o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Fortaleza - PDDU-FOR. Seu planejamento gerou metas para 20 anos com a remodelação do trânsito e novas vias, ordenamento urbano e áreas para lazer. Durante a prefeitura de Luiziane Lins ocorre uma revisão do Plano Diretor, a qual contempla a participação da sociedade e da Câmara de Vereadores.

Em 2007, foi elaborado um plano diretor de geoprocessamento da prefeitura municipal de Fortaleza visando definir as plataformas tecnológicas necessárias para a implantação do Cadastro Técnico Multifinalitário com base num projeto de Geoprocessamento Corporativo.

Energia, água e esgoto

A quase totalidade da energia consumida em Fortaleza é fornecida pelas hidrelétricas da Chesf e distribuída pela COELCE. Em Fortaleza existem duas unidades de produção de energia sendo uma experimental de produção de energia eólica próxima ao Porto do Mucuripe e a outra de gás natural. O primeiro sistema de abastecimento de água da cidade foi inaugurado em 29 de setembro de 1866, utilizando as fontes do Sítio Benfica. Atualmente o abastecimento de água de Fortaleza é feito pela Cagece e atende a 96,42% da população beneficiando 559.911 famílias. O engenheiro João Felipe projetou o primeiro sistema de esgotos da capital em 1911 que começou a funcionar em 1927. Atualmente opera uma rede de 4.579.227 metros.[8]

Economia
Vista da Avenida Santos Dumont, principal eixo de expansão econômica cidade para a área leste.

Em 2005 o PIB de Fortaleza foi de 19.734.557.000,00 de reais, com um aumento nominal relativo ao ano anterior de mais de 4 bilhões. No ano de 2004, de acordo com o IBGE, o PIB foi de 15.797.377.000 reais. Esse total representa 47,5% do PIB do Ceará e 0,89% do Brasil. Dentre as capitais do Nordeste, Fortaleza possui o segundo maior PIB, sendo superado apenas por Salvador.

O comércio diversificado é o maior gerador de riquezas da economia de Fortaleza. A principal área de comércio continua sendo o bairro Centro reunindo o maior número de estabelecimentos. A Avenida Monsenhor Tabosa é outro corredor comercial importante, próxima ao pólo turístico da Praia de Iracema, bem como a Avenida Gomes de Matos no bairro Montese. Os vários shoppings, dentre os maiores: Iguatemi, North Shopping, Aldeota, Del Paseo, Benfica são importantes áreas de comércio e entretenimento.

A produção de calçados, produtos têxteis, couros, peles e alimentos, notadamente derivados do trigo, além da extração de minerais, são os segmentos mais fortes da indústria em Fortaleza. Em 2004 foram contados pelo IBGE um total de 7.860 unidades industriais. A Petrobras tem a LUBNOR instalada em Fortaleza que é a menor refinaria da estatal, mas que tem subprodutos de alto valor agregado como lubrificantes finos. Dentre as grandes empresas de alimentos do Brasil as maiores do mercado de massas e farinhas são de Fortaleza: M. Dias Branco e J. Macedo. No segmento da indústria naval o estaleiro INACE é um dos mais importantes fabricantes de iates do Brasil com sede em Fortaleza. É ainda sede de grandes empresas de transporte como a Companhia Ferroviária do Nordeste e a Expresso Guanabara.

No mercado financeiro Fortaleza é a sede do Banco do Nordeste. O Banco Central do Brasil tem uma unidade descentralizada em Fortaleza, assim como a Bovespa. Outros bancos que foram extintos como o BANCESA, Banfor e o BEC que foi incorporado pelo Bradesco tiveram suas sedes na cidade. Foi sede do BICBANCO e do BMC. Em 2005, de acordo com o IBGE, a cidade contava com 152 agências de instituições financeiras.
Vista panorâmica de Fortaleza

Administração
Mapa da divisão dos bairros e das Secretarias Executivas Regionais.

Vista da Av Eng Santana, Jr, vê se o Parque do Cocó e Centro Comercial Iguatemi.

A administração municipal executiva de Fortaleza é exercida pela prefeita Luizianne Lins auxiliada por meio de ação regionalizada executada em conjunto pelas seis Secretarias Executivas Regionais (SER) e pelo legislativo na figura dos 41 vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza que fiscaliza o executivo e discute as leis no âmbito municipal. O número total de pessoas ocupadas diretamente na administração em 2005 foi de 24.592 pessoas.[9] Em 2006 está sendo cogitada a criação de mais uma regional e de uma gerência especial para o bairro Centro da cidade. Oficialmente a cidade é dividida em 114 bairros, sendo o mais importante o Centro, e percorrida por 11.339 ruas e avenidas. A partir do ano de 2005 foi implantada na cidade a gestão participativa que possibilita uma efetiva participação da população. O projeto encontra-se ainda em fase de implantação, melhorias e adaptações. O poder legislativo é dividido entre os quarenta e um vereadores eleitos para períodos de quatro anos.

Capital do Ceará

Fortaleza é a capital do estado desde que o Ceará se tornou uma capitania independente em 1799. O bairro Cambeba abriga o centro administrativo de mesmo nome que concentra a sede da maioria das secretarias de governo e outras instituições administrativas. Hoje torna-se emblemático o Palácio Iracema, como é chamada a sede do Gabinete do Governador Centro administrativo Bárbara de Alencar, que historicamente foi no antigo Clube Iracema, situado na Praça dos Voluntários, então cedido para Paço Municipal (onde está instalada a Secretaria Municipal de Finanças).

Como sede do governo do estado do Ceará, Fortaleza é também sede regional de diversas instituições do governo federal como o Banco do Nordeste e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS). A Base Aérea de Fortaleza é um importante marco da aviação militar durante a Segunda Guerra Mundial que junto com a Capitania dos Portos do Ceará e o Comando da décima Região Militar são as instituições militares presentes em Fortaleza. A Cruz Vermelha e a Unicef também estão presentes em Fortaleza.

Justiça e segurança pública
Posto policial no Parque do Cocó.

Fortaleza é sede do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará que tem jurisdição sobre todo o território do estado. O fórum da comarca de Fortaleza é o Fórum Clóvis Beviláqua que abriga quase todas as varas de justiça da comarca. A cidade é dividida ainda por seis zonas cartoriais sendo uma de registro de imóveis. A Polícia Militar do Ceará tem várias companhias e postos de patrulhamento na capital sendo Fortaleza a sede da instituição de vários grupos e escolas da Polícia Militar. A Polícia Civil divide a cidade em 24 distritos policiais. A Guarda Municipal de Fortaleza também é uma instituição que complementa as atividades de Segurança Pública em Fortaleza. Seu atual contingente chega a mais de mil agentes e até o final de 2007 alcançará um total de mais de dois mil.

O governo do estado implantou em Fortaleza um sistema conhecido por Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS), que congrega Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. Os CIOPS também são chamados de Distritos Modelos ou Distritos Pólos.

Estatísticas

De acordo com estatísticas do Ministério da Justiça realizada no ano de 2001, Fortaleza era a 20ª colocada em ocorrências de violência e criminalidade à época sendo a quinta maior capital do Brasil — atrás somente de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte. No Nordeste ficava em segundo lugar entre as capitais com o menor número de ocorrências. No caso de homicídios dolosos — ocorrência grave e que funciona como termômetro para medir a criminalidade — Fortaleza está na 16ª colocação entre as demais capitais, com 23,9 casos para 100 mil habitantes, ocupando a sexta posição no Nordeste.

Cultura e sociedade

O Farol do Mucuripe é um dos marcos da cidade.

A vida cultural de Fortaleza é diversificada e fecunda. Muitos artistas, entre escritores, pintores e cantores utilizam os palcos e as praças mais movimentadas da cidade para divulgar o que ela tem de mais sensível. Vários teatros, sendo o mais importante o Theatro José de Alencar, são palco das obras mais relevantes da cultura local e universal. O Museu do Ceará e o Museu de Fortaleza, no Farol do Mucuripe guardam os artefatos mais relevantes da memória fortalezense. As instituições mais relevantes e de maior passado histórico ainda presentes na vida da cidade são a Academia Cearense de Letras e o Instituto do Ceará ambas tendo sido criadas no final do século XIX por nomes importantes como Capistrano de Abreu e Farias Brito. O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC) é atualmente o principal espaço cultural de Fortaleza. Neste centro existem museus, teatro, um planetário, cinemas e espaços para apresentações públicas de cantadores, poetas, bandas e demais espetáculos. Fica no entorno de uma das áreas de fundação de Fortaleza com um patrimônio arquitetônico ainda preservado remanescente do tempo da economia do algodão. O Passeio Público de Fortaleza é um dos patrimônios culturais e paisagísticos da cidade, praça onde foram fuzilados os revolucionários cearenses da Confederação do Equador. A Casa de Juvenal Galeno é outra importante instituição cultural de Fortaleza que leva o nome de um dos mais importantes poetas nascido na cidade, Juvenal Galeno.

Imagem do Baobá do Passeio Público de Fortaleza. No local foram fuzilados os revolucionários da Confederação do Equador.


As festas populares mais importantes são as que envolvem a Igreja Católica, dentre elas o Carnaval que em Fortaleza é comemorado com desfiles de escolas de samba e de Maracatu, a da padroeira Nossa Senhora da Assunção, em 15 de agosto, as festas juninas, e outras datas tradicionais. O Fortal, micareta no final de julho, junto com o Ceará Music no mês de outubro são os eventos musicais mais populares. A tradição musical de Fortaleza remonta ao compositor Alberto Nepomuceno, um dos fundadores da música orquestral brasileira. O Conservatório Alberto Nepomuceno é uma das principais escolas de música da cidade. A MPB tem alguns colaboradores fortalezenses tais como Fagner, Ednardo, Belchior e Amelinha. O forró é o gênero musical mais popular com várias casas de show pela cidade, mas outros estilos musicais também têm vida movimentada com bandas locais como rock e suas várias vertentes, blues, jazz, samba, hip hop cujo maior expoente nacional é o MH2O do Brasil (maior organização do gênero em atividade no país) e outros estilos contemporâneos.

O artesanato cearense tem em Fortaleza seu principal mercado e vitrine. Na cidade existem vários lugares específicos para a venda de produtos artesanais tais como: Central de Artesanato do Ceará (CEART); Centro de Turismo (EMCETUR); Feira de Artesanato da Beira-Mar; Mercado Central de Fortaleza; Pólo Comercial da Avenida Monsenhor Tabosa. A diversidade do artesanato encontrado em Fortaleza é grande, sendo mais característicos os oriundos do couro, garrafas coloridas, cerâmica, cestarias e trançados, rendas de bilro entre outros. A rede de dormir também é bastante procurada nos mercados de artesanato.
A Estação João Felipe é um dos marcos arquitetônicos da Fortaleza.
A Estação João Felipe é um dos marcos arquitetônicos da Fortaleza.

O patrimônio arquitetônico está concentrado no centro da cidade. Apesar de distante do centro, a Casa de José de Alencar é um patrimônio de grande valor histórico e cultural. A Casa foi o primeiro bem tombado de Fortaleza no ano de 1964 por uma lei federal. Além da casa onde nasceu um dos maiores escritores do Brasil, Fortaleza possui ainda outras obras arquitetônicas como o Cine São Luiz onde todos os ano acontece o festival de cinema Cine Ceará e o prédio da Estação João Felipe, ponto de partida da estrada de ferro construída na seca de 1877. A Praça do Ferreira é outro importante marco de Fortaleza, sendo esta praça o principal palco das manifestações sociais, pois foi em seus cafés do final do século XIX que surgiram movimentos abolicionistas, republicanos e literários como a Padaria espiritual. Ela é palco também do surgimento do humor cearense e da idéia do Ceará Moleque com o festival de mentiras do dia 1 de abril e o "Cajueiro da Mentira". Tom Cavalcante e Wellington Muniz são alguns representantes nacionais deste humor fortalezense.

Turismo e Relações Internacionais

Um dos principais brinquedos do Beach Park, o Insano, o maior toboágua da América Latina.

Fortaleza é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil alcançando a marca de destino mais procurado do país pela ABAV nos anos de 2004/2005.[4] As principais atrações são o parque temático Beach Park que recebe uma média de 500 mil visitantes por ano,[10] o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, a Av Beira Mar com sua feira de artesanato, a Praia de Iracema e o famoso Pirata Bar[11] e a Praia do Futuro com suas "barracas" de praia. A cidade tem recebido um número cada vez maior de turistas estrangeiros a cada ano especialmente de Portugal, Itália e França, dentre outros.

Na orla marítima de Fortaleza se localizam os principais meios de hospedagem da cidade e também muitos restaurantes e atrações turísticas, com destaque para as barracas de praia e parques aquáticos, clubes, boates e casas de shows. Segundo o IBGE, a cidade abrigava em 2004 mais de 4 mil unidades locais de empresas de alojamento e alimentação. A cidade dispõe ainda de vários consulados que dão assistência ao turista estrangeiro.

Na estrutura de apoio ao turismo, o Governo do Estado e a prefeitura realizam eventos e incentivam e colaboram para a divulgação de outros, com especial destaque para o turismo de eventos e negócios. Em 2007 surgiu uma parceria entre governos para a construção de um novo centro de convenções. Existem na cidade diversos pontos de informação turística, com destaque para os localizados no aeroporto, rodoviária, calçadão da Av. Beira Mar e no Centro Cultural Dragão do Mar. Na Praia de Iracema existe um posto policial especializado para o turista estrangeiro.

Gastronomia

A gastronomia de Fortaleza é tipicamente nordestina ressaltando-se pratos típicos como o baião de dois com churrasco de carneiro ou carne-de-sol. Frutos do mar são outro ingrediente de pratos típicos da cozinha fortalezense tais como moqueca de arraia, peixadas de cavala e pargo. Outro fruto do mar bastante degustado é o caranguejo. Todas as quintas-feiras é tradição comer uma "caranguejada", caranguejo cozido com molhos. O camarão também é uma iguaria bem degustada em pratos como o "arroz de camarão" ou "bobó de camarão". No Mercado do Mucuripe é possível comprar uma infinidade de pescados que podem ser preparados em restaurantes vizinhos. O mais comum é comprar-se camarão e prepará-lo "ao óleo" ao entardecer dos finais de semana.

Os pólos gastronômicos da Varjota, Praia de Iracema e a Avenida Beira Mar são os locais com maior diversidade de restaurantes de cozinhas diversificadas de várias nacionalidades com ênfase para a árabe, francesa, chinesa, japonesa, italiana, alemã, portuguesa, espanhola e suíça alem de pizzarias, churrascarias, lanchonetes, cozinhas contemporânea e regional. Outro pólo gastronômico fica no sul de Fortaleza na divisa com Eusébio nas tapioqueiras, um centro de vendas com vários restaurantes especializados no preparo desta que é uma das comidas típicas do Nordeste, a tapioca.

Esporte e lazer

O estádio Castelão é o maior de Fortaleza.

O lazer cotidiano de muitos fortalezenses é a caminhada ou cooper ao amanhecer ou ao entardecer nas praças das áreas residenciais. As academias de musculação e ginástica também são numerosas. Alguns dos eventos mais destacados são a Meia Maratona de Fortaleza, que comemora o aniversário da cidade, e a Maratona Pão de Açúcar de Revezamento que ocorre em julho.

O esporte mais popular, assim como no resto do Brasil, é o Futebol. O Campeonato Cearense tem seus principais jogos em Fortaleza. Os principais times da cidade são: Ceará, Fortaleza e Ferroviário. Em 2007 os dois primeiros disputarão a Série B do Campeonato Brasileiro. Os principais estádios de Fortaleza são o Estádio Plácido Castelo mais conhecido como "Castelão" e o Presidente Vargas mais conhecido como "PV".
Presidente Vargas.
Presidente Vargas.

A maioria dos clubes esportivos mantém o futebol como principal atividade esportiva, mas apóiam alguns outros esportes como o futebol de salão, voleibol e basquetebol entre outros. Os esportes de praia também são bastante praticados como o surfe, Windsurf, vela, sandboard, triatlon, mergulho e kitesurf entre outros. Várias etapas de competições nacionais e internacionais destas modalidades ocorrem em Fortaleza. Fortaleza é sede da Confederação Brasileira de Futebol de Salão.

A cidade tem várias escolas e academias de lutas e artes marciais com destaque para o judô, aikido, capoeira e wushu entre outras. O automobilismo é praticado em pistas de kart em diversos lugares da cidade e no Autódromo Internacional Virgílio Távora que fica na cidade do Eusébio a menos de dez quilômetros de Fortaleza. Alguns esportes menos populares estão começando a surgir na capital do Ceará como é o caso do Futebol americano, Críquete e o Golfe que estão sendo praticados por pequenos grupos apoiados por federações desportivas de outros estados e por clubes locais. Para quem gosta de animes, mangás, HQ's, RPG's etc, em meados de julho acontece no Centro de convenções Edson Queiroz a Super Amostra Nacional de Animes.

A Columbofilia é outro esporte que tem se desenvolvido e se expandido. Provas de grande dificuldade técnica tem diferenciado das demais do Brasil, devido as áridas condições naturais de trajeto e longos percursos nas etapas finais.

A Praça Portugal é o local onde várias "tribos" se encontram para jogar um pouco de conversa fora, principalmente "otakus"(fans da animação e gibi nipônico) e outros. Na região onde se localiza é famosa pelos grandes shoppings ao redor, pelo movimento de pessoas e carros é por ser uma zona mista de residências de alto padrão e comércio de luxo, localizada entre bairros famosos como Aldeota e Meireles.

Educação, ciência e tecnologia

Planetário Rubens de Azevedo, importante ferramenta de divulgação científica da cidade.

Em Fortaleza existem várias instituições de pesquisa e desenvolvimento tecnológico como a FUNCAP, FUNCEME, ROEN - o maior radiotelescópio do Brasil e a Embrapa "Agroindústria Tropical", dentre outras. O campus do Pici, da Universidade Federal do Ceará, é um dos lugares que mais concentra instalações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico em Fortaleza, incluindo a Embrapa, Nutec, Padetec e vários laboratórios e cursos das áreas de tecnologia como um dos "Centros Nacionais de Processamento de Alto Desempenho". No bairro Cidade dos Funcionários também existe outro pólo de desenvolvimento tecnológico voltado para a tecnologia da informação abrigando o Insoft e o Intituto Atlântico e a sede da FUNCAP. A sede da divisão regional do Instituto Nacional da Propriedade Industrial para o Norte e o Nordeste fica na capital cearense. A formação de mestres e doutores conta com 95 cursos sendo 23 de doutorado, todos aprovados pela CAPES.
[editar] Ensino fundamental e médio

Fortaleza é um importante centro educacional tanto no ensino médio como superior, não só do estado do Ceará, mas também da porção Norte e Nordeste do País. A cidade é sede ainda de duas importantes escolas de ensino médio federais: Colégio Militar de Fortaleza e CEFET-CE, instituições bem avaliadas pelo Exame Nacional do Ensino Médio. Outra importante instituição de ensino público é o Liceu do Ceará, colégio mais antigo do estado, que é uma das bases para o ensino médio profissionalizante do Governo do Estado. O número de matriculados no ensino fundamental em 2005 foi 413.435 e no ensino médio foi 152.936. Outras escolas também se destacam no cenário nacional como grandes "doadoras" de alunos para as mais difíceis universidades do país, como o Instituto Tecnológico da Aeronáutica e o Instituto Militar de Engenharia. São elas: Colégio 7 de Setembro, Farias Brito, Ari de Sá, Christus, Santa Cecília, Colégio Batista Santos Dumont dentre outros.

Ensino superior
Casa de Cultura Alemã da Universidade Federal do Ceará.

Por ser a capital do Estado do Ceará, Fortaleza é sede dos primeiros cursos de nível superior fundados no estado. O primeiro curso fundado foi o de Direito, com a fundação em 1903 da Faculdade de Direito do Ceará. Depois disso, foram fundados outros cursos (como Farmácia e Odontologia, em 1916), os quais foram unidos para a fundação da primeira universidade de Fortaleza e também do Ceará: a Universidade do Ceará em 1954, que mudou posteriormente de nome, chamando-se Universidade Federal do Ceará. Atualmente Fortaleza dispõe de 31 instituições de ensino superior, sendo as universidades mais famosas: CEFET-CE,Universidade Federal do Ceará, Universidade Estadual do Ceará e Universidade de Fortaleza, e as demais, cursos agrupados ou isolados. O total de matrículas no ensino superior em 2004 foi 74.657.

Saúde

O primeiro hospital de Fortaleza foi a Santa Casa de Misericórdia inaugurado em 1861 com 80 leitos, que hoje conta com 455 leitos. Em 2005 a cidade contabilizava 8.138 leitos hospitalares distribuidos entre 70 estabelecimentos de internação. Dentre os princiapis hospitais merecem destaque: o Instituto Doutor José Frota, mais conhecido como IJF, que é o maior hospital de emergência da cidade sendo administrado pela prefeitura; O Hospital Geral de Fortaleza é o maior hospital público sendo administrado pelo governo do estado e dentre alguns privados tem destaque os hospitais São Mateus, Antônio Prudente, Unimed, Monte Klinikum e o SARAH-Fortaleza.

O Programa de Saúde da Família - PSF é um serviço cujo objetivo é aproximar profissionais da saúde e cidadãos, mudando a concepção sobre a atenção em saúde, tendo como missão o cuidado e o acompanhamento integral das famílias. Em 2006 existem 200 equipes trabalhando e para suprir a demanda é necessário mais 260 equipes. Complementando o atendimento popular, em Fortaleza existem duas unidades da Farmácia Popular do Brasil que é uma política do Ministério da Saúde para ampliar o acesso de toda a população aos medicamentos.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU em Fortaleza recebe de 80 mil a 100 mil chamadas por mês e cerca de seis mil atendimentos são realizados mensalmente. O serviço está sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde sendo um programa do governo federal criado com a finalidade de atender pessoas em situação de emergência. A secretaria conta atualmente com três ambulâncias UTIs e 16 unidades básicas.[12]

Atualmente Fortaleza projeta um futuro de referência no ensino e estudo da medicina com a criação de mais dois cursos de medicina, o da Unifor, com início em 2006 e o da Faculdade Christus tendo iniciado em 2005. A Universidade Estadual do Ceará também criou recentemente seu curso de medicina. O melhor e mais antigo é o da Universidade Federal criado em 1948 contando com uma estrutura hospitalar de ensino completa, tendo o Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade Escola Assis Chateubriant.

Transportes

Transporte coletivo
Vista aérea da saída de Fortaleza pela BR-116.

O sistema de transportes coletivo de Fortaleza é regulamentado pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza S.A (ETUFOR), órgão da prefeitura, e é fiscalizado pela Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), Serviços Públicos e Cidadania. O transporte coletivo realizado por ônibus em Fortaleza é denominado de Sistema Integrado de Transportes (SIT-FOR). Sua operação teve início em 1992. O sistema proporciona ao usuário a opção de deslocamento através da integração física e tarifária em Terminais de Integração. A rede de linhas do SIT-FOR é baseada em dois tipos de linhas: as que fazem a integração bairro-terminal e as que integram o terminal ao centro da cidade ou ainda a outro terminal.

Fortaleza possui atualmente sete terminais integrados (Antônio Bezerra, Papicu, Parangaba, Lagoa, Siqueira, Messejana e Conjunto Ceará) e dois terminais abertos (Coração de Jesus e Estação). Cerca de 850 mil passageiros por dia utilizam os terminais fechados, através de 218 linhas de ônibus regulares (157 ligadas aos terminais integrados e 61 não integradas). São 25 empresas operantes com uma frota de 1.623 ônibus.

Fortaleza possui também um dos mais modernos sistemas de controle e monitoramento do tráfego urbano do país, o CTAFOR, que além de dispor de uma central de tráfego que monitora grande parte da cidade através de um sistema de 30 câmeras de CFTV, dispóe também de um sistema de 20 Painéis de Mensagens variáveis (PMV) dispostos nos principais corredores de tráfego da cidade para orientar os motoristas e usuários das condições do tráfego e das melhores opções de rotas para a melhoria da fluidez do tráfego. Além disso, 210 dos mais de 500 semáforos da cidade são considerados semáforos inteligentes que são controlados e monitorados pela central de tráfego do CTAFOR, com mudanças em tempo real nos tempos dos semáforos variando conforme a demanda e composição do tráfego,contribuindo para a melhoria da fluidez do tráfego de grande parte da área urbana de Fortaleza.

Metrô

Mapa do sistema que será o Metrofor.

O metrô de Fortaleza (Metrofor) é um importante sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana que liga Fortaleza e mais outras três cidades. Suas linhas têm raízes no antigo sistema da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Fortaleza e está passando por uma adaptação para atender aos parâmetros do sistema metroviário. Atualmente estão em operação 22 estações: 13 na linha sul e oito na linha oeste além da estação central. Com a entrada em operação do metrô serão implantadas mais 14 estações, três delas serão subterrâneas. No entanto, este ainda não está concluído, com sua obra bastante conturbada devido a problemas de administração municipal, estadual e federal. As obras do metrô foram incluídas no PAC e estão previstas para conclusão em 2010. Uma nova linha já faz parte do plano do metrô e, se Fortaleza for confirmada uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, deverá estar pronta até a data do evento esportivo.

Ferrovias

Vista externa do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

O sistema Ferroviário de Fortaleza está integrado modalmente ao Porto de Fortaleza. Sua história remonta ao ano de 1870 quando começou a ser planejado e implantado. Atualmente é de competência da Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) e está interligado à rede nacional de ferrovias.

Aeroporto
Vista da Avenida Engenheiro Santana Junior em Fortaleza

O Aeroporto Internacional Pinto Martins está situado no centro geográfico de Fortaleza. Passou por uma reforma completa em 1998 quando então passou a ser classificado como Internacional. Com esta ampliação sua capacidade chegou aos dois milhões e meio de passageiros por ano. É a principal "porta de entrada" de Fortaleza para o turismo.

Porto

O porto de Fortaleza está localizado na enseada do Mucuripe e é um porto artificial. O cais tem 1.054 metros de extensão. Tem uma plataforma de atracação exclusiva para petrolíferos. Sua área de armazéns tem seis mil metros quadrados e mais de 100 mil metros quadrados de pátio para contêineres. Possui ainda dois moinhos de trigo e está interligado ao sistema ferroviário por um extenso pátio de manobras.

Anúncios de proprietários, corretores e imobiliárias em Fortaleza / CE:

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortaleza. Acessado em 05/05/2008.